Inauguração das placas toponímicas e da estátua que reconhecem personalidades e espaços significativos da presença africana na cidade.
Inauguração das placas toponímicas e da estátua que reconhecem personalidades e espaços significativos da presença africana na cidade.
4 months ago
Largo de São Domingos
Largo de São Domingos, Rossio, Lisboa

No próximo dia 13 de janeiro, o Largo de São Domingos, no Rossio, será o palco de um evento de relevância histórica para a capital portuguesa. A Associação Cultural e Juvenil Batoto Yetu Portugal (BYP) convida todos os interessados a participar da inauguração das placas toponímicas e da estátua que reconhecem personalidades e espaços significativos da presença africana na cidade.

Este projeto é fruto de uma parceria com a Câmara Municipal de Lisboa (CML), inserido no Programa BIP/ZIP, e abarca 20 placas distribuídas por pontos emblemáticos que remontam à presença africana na história da capital portuguesa. Além disso, conta com uma estátua dedicada a “Pai Paulino”, uma obra do escultor moçambicano Frank Ntaluma.

A BYP tem liderado este esforço desde 1996, quando foi fundada, resgatando manifestações e práticas artísticas do continente africano e a sua diáspora. Este evento é apenas uma das várias iniciativas empreendidas pela associação, que também incluem a investigação sobre o Fado Dançado, Visitas Guiadas aos locais de presença africana na Área Metropolitana de Lisboa e no Vale do Sado, e, mais recentemente, a parceria com a Secretaria de Estado da Igualdade e Migrações para promover a Plataforma Memória Africana Digital em Portugal.

O evento, além de significativo a nível nacional, tem uma projeção internacional e será um marco importante na celebração da diversidade cultural e da herança africana que faz parte indelével da identidade lisboeta. A inauguração está marcada para as 15h e conta com o apoio e colaboração de diversas entidades, incluindo o Hangar, Gabinete Estudos Olissiponenses, Jardim Botânico Tropical, e várias Juntas de Freguesia e instituições ligadas à cultura e ao património.

De recordar que, ainda em junho de 2023, escrevemos que este projeto encontrava-se em suspenso, devido a vários entraves burocráticos, sendo que as placas e o busto em questão estão prontos desde 2020.

Esta homenagem é mais um passo no compromisso da BYP em preservar e promover a riqueza cultural africana em Portugal, reconhecendo a sua importância histórica e contemporânea na sociedade lisboeta.